quarta-feira, fevereiro 13, 2008

carta ao leitor


Acho que queria escrever mais um daqueles diálogos, mas acho que uma conversa assim seria melhor. O natural era eu me descrever sentimentalmente com um poema ou um conto bem simples, mas nem sei se o que sinto merece ser dito. É um misto de marasmo e superlotação. Me pego falando muito rápido quase sem conseguir pronunciar as palavras corretamente. Um sono tremendo por causa de noites pouco dormidas e os ombros rijos pela tensão que nem sei bem certo de onde vem. Isso é pouco ou normal, não sei, mas parece ser um começo de algo muito maior...

Pareço estar, assim me sinto, no portal de uma caminhada íngreme no meio do mato fechado, andando sobre pedras irregulares, carregando uma mochila um pouco pesada. E, apesar de já cansada, minha mente pede mais, pede muito mais. Leio o que posso, passo tardes descobrindo e redescobrindo coisas. É como se estivesse prestes a fazer uma grande descoberta. Como se idéias luminosas fossem me aparecer na frente a qualquer momento. Ô frio na barriga e um excitamento entusiástico. Nossa, nem sei. (...)

E aqui parece estar meio sem graça não é?! Está sem fotos, sem coloridos, e isso não cativa muito, texto demais. Assim que puder colorirei todos os posts que estiverem sem fotos ou desenho. Prometo tornar a leitura mais prazerosa, rs. Ou dar uma mudadinha no template, só pra variar, o que acham? (...)

Bom, agora me despeço. Muito bom conversar com vocês. Agora me sinto melhor, rs. Beijos, Eu.

(se pudesse ter sido manuscrita, teria sido)


-> p.s.: coloquei fotos em quase tudo, e escrevi nota lá em cima por causa disso.
p.s.2: A foto deste post retirei do site da revista Sagarana.

5 comentários:

Jaya disse...

Mariana,

Eu acredito sim que uma grande descoberta está por vir. Rs. Em qualquer sentido. E acredito que tudo vai adquirir o sentido exato. Ou não tão exato assim, pra ficar melhor.

E te leio seja assim, seja poema voando, seja conto, seja lá o que for. Eu te leio seja assim, seja pelo avesso. Te leio com figuras ou sem. Te leio sem cores, porque SEMPRE consigo exergá-las.

Ah, eu te adoro, garota!
:)

Um beeeeijo.
:*

Mariana Lima disse...

nossa, com um elogio desses.. aiai, fico rubra, rs

beijos Jaya, tb te adoro

Maria Renata disse...

Aiaiai, que legal, será q uma surpresa está por vir???
beijos!

Juliana Caribé disse...

Eu adoraria le-la manuscrita, e responde-la da mesma forma...

Beijoca.

Carlos Howes disse...

Cara Blogueira,

Um post assim como este demonstra imensa humildade da tua parte, pois tendo a liberdade de constituir o teu espaço virtual como e quando bem entender, tu ainda te preocupa no agrado daqueles que aqui visitam. È adorável.

Fico feliz em saber que apesar da longa e cansativa caminha por dentre o matagal de dificuldades, você consiga absorver uma grande quantidade de conhecimento, e que sinta dentro de si sentimentos tão animadores quanto entusiasmo e esperança. Como leitor regular, confesso que crio um vinculo de torcida e carinho por quem está do lado oposto deste espaço, e assim fico feliz em ler tais palavras.

No mais, desejo boa sorte com o restante da caminhada. E que venha a descoberta.

Beijo.