quinta-feira, fevereiro 14, 2008

seus olhos nos olhos meus

o lugar quase sempre é novo
apesar de ser o mesmo
mas me sinto sempre, ou quase
completamente deslocada.

não, não sou expansiva que quando chega
já vai puxando assunto dando risada.
tenho medo de te olhar nos olhos,
prefiro observar de longe.

e se me aproximo preciso de pretexto
e pretexto do bom, se não, me travo e não há conversa.
nunca fiz parte de nenhuma turma
e invejo, de certa forma, os que têm.

na verdade acho engraçado
essa capacidade de se revogar
pelo grupo, pelo líder ou pela causa
causa que é só social.

mas não te olho nos olhos por que tenho medo
medo que me olhe de volta
e que venha pra cima de mim
e que me deixe encabulada

que me faça perguntas embaraçadas
que caçoe de minha cara
e que depois saia andando
rindo com toda a turma em volta.

ou tenho medo de que goste de mim?
de querer me conhecer sem rir
de querer que eu goste de você
assim como gosta de mim?

só sei que quando os olhos se encontram
algo muito grande acontece
pois não consigo mante-los
e você desaparece.

(inspirado no texto "Sobre Ser Criança" do blog Desencontrando)

13 comentários:

Carlos Howes disse...

Ah, essa timidez.. =D

Amanda Bia disse...

que lindo! apesar de ser absurdamente extrovertida e cara-de-pau, quando chega esse momentos assim fico tão tímida quanto dito nesse texto! talvez até mais!
tão bom trocar olhares com quem se gosta... mesmo que dure só um instante!
beijos!

Filipe Garcia disse...

e se me aproximo preciso de pretexto
e pretexto do bom, se não, me travo e não há conversa.
nunca fiz parte de nenhuma turma
e invejo, de certa forma, os que têm

parece que tava falando de mim!!!

mto verdadeira suas palavras, mto bonitas e simples - gosto das coisas simples.

deixa eu te linkar? gostei tanto daqui...

bjo

Juliana Caribé disse...

"Só sei que quando os olhos se encontram, algo muito grande acontece."

"Quando a luz dos olhos meus e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar..."

Lindo.

Quanto ao meu texto, o filme não tem nada a ver com a minha histórias, a não ser o nome das personagens...

Beijos.

(te linkei também)

Mr. Ziggy disse...

Meu, e não é que tb me sinto assim? Seus versos falam de um tantão de "eus-líricos" zanzando por aí. Linkar-te-ei. Bjos!

Ariana disse...

Lindo o texto!

Parabéns, pelo blog também, mto organizado!

Beijo*

Jaya disse...

Mariaaaaaaana!
:)

Lindo. Doce. De voar. Rs. Adoro, adoro! Queria ter escrito isso. Ah, como eu queria. Me enxerguei no teu poema. E isso é uma delícia!

Olha, tem um presente especial para você no blog, viu?

Beijo.
:*

Juliana Caribé disse...

Tem selinho pra você no meu quintal... Passa lá depois...

Rafael disse...

Eu me sinto um pouco assim também, de nunca pertencer a grupos e, de certa forma invejá-los. u.u
E acho que a gente tem um gosto musical um tanto parecido. Eu vi o seu post sobre a Mayra Andrade (adoro!). E ela nem é tão famosa assim.
Voltarei. ;)

Dominique disse...

Peço licença para entrar e dizer "Que poema lindo"!

Olá, Mariana, espero que desculpe minha intromissão, mas adorei encontrar uma conterrânea com tanto talento para escrever.

Quanto ao nome do blog, achei interessantíssimo. Realmente viver entre Sabará e Belo Horizonte é ter sempre uma divisa tênue de duas cidades encantadoras.

Bom, deixo-te um abraço e volto depois para mais um dedinho de prosa!

Até lá!

Li disse...

delícia de palavras :)

Ricardo disse...

Sem medo de olhar nos olhos...
Sempre...

Cybersein disse...

Olhos são mágicos, abrem e encerram um espaço relacional que o corpo segue depois. Olhos se desviam quando a verdade é demais. O meu olho é bem castanho, mas quando choro ele fica quase verde.
Off topic: só acrescentei os links agora na template nova, mas agora você tá lá.
Beijão.