terça-feira, agosto 25, 2009

a dois

e só ouço sua respiração
no afagar da madrugada que passa
como é bonito teu rosto na penumbra
e na pouca luz que resta, seu olhar brilha mais

a sombra das arvores dançam na parede
e tentam chamar a minha atenção que é sua
não imaginava que aceitaria meu convite
para viver sem pensar demais

sempre reparei teus cabelos
e eu amei quando sua barriguinha apertei
e rapidamente achou meus caminhos
por onde me perdi sem saber voltar

o que falta pra noite senão mais você?!
o vinho que por isso abandonamos
numa outra noite quase louca
e entornamos no descontrole de quem não resiste

te desejo todas as noites
e te anseio pelas tardes afora
manhãs que não te encontro
quase sempre lamento nos sonhos que tive

me explica o destino disso tudo
não há destino
nem um solo de guitarra
só o silêncio de respeito por nosso amor

vejo nos teus olhos irresistíveis
a vontade de nunca partir
vontade minha, não menos
como dois e dois, ficamos

sua respiração me alimenta
e ela se alimenta de sua existência
vem me dar teu corpo
e seremos felizes pela noite inteira.

---

Poema criado com o parceiro Peco Ferger.


3 comentários:

Roginho disse...

Esse Peco Ferger é bom!
E ser feliz pela noite inteira é o que há de melhor...

Poli disse...

Lindooooo!!!

Jaya disse...

Tem dias onde tudo o que eu preciso, é dos teus poemas que voam.

Hoje, a quatro mãos, ainda tão mais lindo.

Beijo, Mariana.