domingo, agosto 23, 2009

Nus

Corações que se disparam
Almas que se desprendem do corpo

Palavras que sobrevoam
A existência do incompreensível

Mentes em suspensão
Ao toque desencadeante
Do sublime estado de espírito


2 comentários:

Roginho disse...

Sem alma no corpo eu me sentiria mais nu que sem roupa. E palavras que desafiam o incompreensível merecem a minha admiração... nem todo mundo briga com algo que não consegue ver.

Beijos monstruosos!

Jaya disse...

Mariana,

Palavras a sobrevoar a existência do incompreensível.

É tão bom que seja assim, não? Prefiro.

E ó, eu tô sempre aqui. E fico contentíssima em te ter por lá. Mesmo.

Um beijo, mineira.